Vereador Mauricio quer debater o futuro do traçado da Ferroeste

Preocupado com a possibilidade de Dourados ficar fora definitivamente do traçado da Ferroeste

Foto: Valdenir Rodrigues
Vereador Mauricio quer debater o futuro do traçado da Ferroeste
Mauricio pede união da classe política para que Dourados não fique de fora do traçado da ferrovia

Preocupado com a possibilidade de Dourados ficar fora definitivamente do traçado da Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste), o vereador Mauricio Lemes (PSB) protocolou indicação na Câmara Municipal, solicitando ao prefeito Alan Guedes (PP) e ao secretário de Governo, Henrique Sartori, que promovam debate envolvendo a classe política que representa o município, incluindo as bancadas federal e estadual, visando criar mecanismos para que um dos ramais da ferrovia passe na cidade.   

Mauricio ressalta que o tema já foi pautado na gestão do ex-prefeito Murilo Zauith, sendo que na época chegou ser confirmada a inclusão do traçado passando por Dourados. No entanto, segundo informações divulgadas na mídia recentemente, a empresa decidiu rever o traçado, substituindo Dourados pela cidade de Maracaju, onde deverão ser instalados os terminais de carga.  

Para o vereador Mauricio a situação ainda pode ser revertida se efetivamente ocorrer à união de forças com toda a classe política, principalmente envolvendo a bancada federal que representa o Estado, "É necessário que o Legislativo, o Poder Executivo e a Associação Comercial Empresarial de Dourados, juntamente com os parlamentares federais revejam e coloquem novamente a nossa cidade no traçado desta ferrovia, pois desta forma, trará desenvolvimento econômico de alto impacto positivo à Dourados", enfatizou.  

Na próxima sessão ordinária, na Câmara Municipal, o vereador fará a leitura do documento que será encaminhado ao prefeito Alan Guedes, com cópias aos deputados federais; Beto Pereira (PSDB), Bia Cavassa (PSDB), Dagoberto Nogueira (PDT), Luiz Ovando (PSL), Fabio Trad (PSD), Rose Modesto (PSDB), Tio Trutis (PSL) e Vander Loubet (PT) e aos senadores Nelsinho Trad (PSD), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL).  

 

 

 

Comentários