Marçal é o deputado que menos gasta recurso de cota parlamentar em MS

Conforme o Portal da Transparência da Assembleia Legislativa, no total, os 24 parlamentares reduziram os gastos em 11,8% no ano de 2020 em comparação a 2019. E Marçal foi o mais econômico entre todos.

Divergindo algumas publicações realizadas no decorrer da semana nas redes sociais, dos 24 deputados estaduais da Assembleia Legislativa em Mato Grosso do Sul, Marçal Filho (PSDB) vem dando exemplo como agente público que menos gasta recurso da cota parlamentar. Assim aconteceu em 2019, primeiro ano de mandato da atual legislatura, e se repetiu em 2020. 

Os deputados possuem verba indenizatória mensal para custear despesas como serviços postais, internet, locação de móveis e equipamentos, combustível, consultoria, divulgação de trabalho parlamentar, ente outros. 

Deputados que são do interior do estado, em tese, possuem despesa maior, já que precisam locar imóvel para montar escritório e atender a população local. No entanto, não há regra, e cada deputado possui despesa que oscila de um mês para o outro.

Com base eleitoral em Dourados, Marçal Filho foi o deputado que mais economizou verba indenizatória. Além do gabinete na Assembleia Legislativa, em Campo Grande, ele mantém escritório no segundo maior município do Estado, local onde é realizado atendimento aos municípios da Grande Dourados.

Embora as sessões dos deputados estejam sendo feitas de forma remota as terças, quartas e quintas-feiras, por causa da pandemia, as demais atividades parlamentares seguem normalmente. 

Conforme o Portal da Transparência da Assembleia Legislativa, no total, os 24 parlamentares reduziram os gastos em 11,8% no ano de 2020 em comparação a 2019. E Marçal foi o mais econômico entre todos. 

À reportagem, Marçal Filho disse que desde que assumiu uma vaga como deputado, há dois anos, fez compromisso de utilizar cota parlamentar somente para custear despesas essenciais para o mandato. Com a pandemia, os custos tiveram redução de 16% no gabinete dele. O deputado ainda informou que manterá a postura de economicidade para 2021.

Comentários