Perseverance, o robô explorador da Nasa que chega a Marte

Perseverance é o robô explorador mais sofisticado já enviado ao espaço

Foto: Nasa
Perseverance, o robô explorador da Nasa que chega a Marte
O Perseverance vai explorar o solo e a atmosfera do planeta vermelho por pelo menos um ano marciano, ou seja, 687 dias terrestres
  • Perseverance é o robô explorador mais sofisticado já enviado ao espaço

  • Viagem de quase 480 milhões de km começou em julho de 2020

  • Robô tem o tamanho de um carro e pesa cerca de uma tonelada

    As missões anteriores constataram que, antes de se tornar um deserto gelado, Marte era quente o suficiente para abrigar oceanos de água líquida.

    O antecessor do Perseverance foi o robô Curiosity, que pousou em um local diferente do planeta em 2012 e ainda está em operação.

    Ele confirmou que existiram condições de vida em Marte. E o Perseverance vai agora dar o próximo passo e tentar responder uma das grandes questões da astrobiologia: há sinais concretos de vida microbiana passada em Marte?

    O robô também coletará amostras de rochas que serão trazidas à Terra no futuro e testará tecnologias pioneiras para uma eventual presença humana no planeta vermelho.

    É que o Perseverance, que tem o tamanho de um carro e pesa cerca de uma tonelada, conta com novos instrumentos, cerca de 20 câmeras, um helicóptero e até microfones.

    A nave que transporta o Perseverance entrará na atmosfera marciana a uma velocidade de 19.500 km por hora. Em sete minutos, essa velocidade precisa chegar a zero.

    Todo o processo de descida é automatizado e como há um atraso de mais de 11 minutos nas comunicações com a Terra, o Perseverance estará sozinho — e não poderá ser auxiliado de forma remota se surgir algum problema.

    A nave em que o robô está sendo transportado tem uma parte traseira em forma de cone que está selada na parte inferior por um escudo térmico. A temperatura na superfície externa desse escudo pode chegar a cerca de 1.300 °C.

    A expectativa é de que o Perseverance explore o solo e a atmosfera do planeta vermelho por pelo menos um ano marciano, o que equivale a cerca de 687 dias terrestres.

    Para isso, ele conta com instrumentos sofisticados como o PIXL e o Sherlock, que podem escanear o terreno e determinar sua composição química.

Comentários